Tratamento médico conservador da doença renal crónica

Tratamento médico conservador da doença renal crónica

 

Sem prejuízo da observância do direito de o doente optar livremente pela modalidade terapêutica, o tratamento conservador médico não é uma alternativa às outras modalidades, encontrando-se reservado para situações graves, de mau prognóstico de vida, em que a diálise não faculta uma esperança e uma qualidade de vida superiores.

 

O tratamento conservador da insuficiência renal crónica avançada consiste na aplicação de tratamentos não invasivos e de medidas cujos objetivos são:

  • Eliminar ou atenuar os sintomas de doença, proporcionando o maior bem-estar e o menor sofrimento possíveis

  • Fornecer apoio não diferenciado (acompanhamento, alimentação, higiene pessoal, levante, manutenção do domicílio) quando necessário

 

Para alcançar esses objetivos contará com uma equipa polivalente constituída por elementos diferenciados de cuidados continuados e paliativos (que inclui médicos, enfermeiros e outros elementos) que, se for caso disso, o acompanhará no seu domicílio ou onde estiver a viver. No caso de não ser possível assegurar a assistência atrás descrita, aconselhamos que esta não seja a sua opção. Sobre este assunto, informe-se junto do seu nefrologista.

 

Indicações para o tratamento conservador:

  • A opção consciente e informada do doente ou, caso este não se encontre em condições de a expressar, de quem legalmente se encontre em condições de o fazer.

  • Coma irreversível.

  • Ausência irreversível de vida de relação.

  • Estado demencial grave e irreversível.

  • Impossibilidade técnica ou clínica de tratamento dialítico e de transplantação renal.

  • Coexistência de outra doença que condicione curta esperança de vida.

  • Coexistência de outra doença ou condição, física ou psíquica, que condicione, previsivelmente, severo e irreversível sofrimento.

 

Provavelmente, ser-lhe-á instituída uma dieta com restrição de proteínas (carne, peixe, ovos, leite), de sal e de líquidos, bem como lhe serão prescritos diversos suplementos alimentares.

Para além da medicação habitualmente prescrita para tratamento das complicações da insuficiência renal crónica que, eventualmente, já prossegue (anti-hipertensores, diuréticos, corretores da anemia, modificadores do metabolismo do fósforo, suplementos vitamínicos), ser-lhe-ão prescritos, à medida das necessidades, medicamentos eficazes para alívio dos sintomas da insuficiência renal e das outras doenças de que, eventualmente, sofra:

  • Náusea.

  • Vómitos.

  • Hipus (soluços) incoercíveis.

  • Prurido (comichão) generalizado e incomodativo.

  • Insónia.

  • Ansiedade.

  • Dispneia (falta de ar).

  • Dores.

  • Se necessário, ser-lhe-á instituída sedação (indução de sono profundo).

 

 

Publicado: portaldadialise | 2016-07-10 14:15 Última atualização: 2016-07-10 14:15 Fonte: Norma nº 017/2011 de 28/09/2011 DGS atualizada a 14/06/2012 Imagem: © Flickr - Xavi Tallied
Partilhar: